Criados em Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em 1998, os Fundos Nacional e Diocesano de Solidariedade começaram a fazer parte da rotina dos trabalhos desenvolvidos por dioceses e paróquias de todo Brasil a partir de 1999. Resultado da Coleta Nacional da Solidariedade em todas as igrejas e comunidades no Domingo de Ramos, esta ação ocorre como gesto concreto da Campanha da Fraternidade.

Voltada para temas sociais, a Campanha da Fraternidade, desde 1964, convida a sociedade brasileira a refletir sobre as problemáticas que afetam diretamente as populações, principalmente as mais empobrecidas.

A arrecadação da Coleta Nacional da Solidariedade é voltada para o apoio a projetos sociais. São 266 dioceses, em suas paróquias e comunidades de todo Brasil, que promovem e animam os fiéis para que este que é o gesto concreto da fraternidade e da partilha.

Os fundos são compostos da seguinte maneira: 60% do total da coleta permanecem na diocese de origem e compõe o Fundo Diocesano de Solidariedade e 40% são destinados para o Fundo Nacional de Solidariedade. O resultado integral da coleta da Campanha da Fraternidade de todas as celebrações do Domingo de Ramos é encaminhado à respectiva diocese.

Em doze anos de existência, o Fundo Nacional de Solidariedade já recebeu mais de 40 milhões de reais e apoiou 2.145 projetos sociais em todo país. Confira:

(clique na imagem para ampliá-la)

por Thays Puzzi, assessora de Comunicação da Cáritas Brasileira / Secretariado Nacional

No related posts.