Comando Militar do Leste diz que espaço servirá de apoio às tropas do Exército

RIO – A Cúpula dos Povos, evento paralelo à Rio+20, no Aterro do Flamengo, corre o risco de ficar menor. Considerada o coração do território que será ocupado pelos movimentos sociais, de15 a23 de junho, a área do Monumento aos Pracinhas servirá de apoio às tropas do Exército e da Polícia Militar durante a conferência, como informou na terça-feira, em nota, o Comando Militar do Leste (CML). No espaço ocorreria a Assembleia dos Povos, que definirá as ações para o período seguinte à Rio+20, com base em três eixos — a denúncia das causas da crise socioambiental, a apresentação de soluções práticas e o fortalecimento dos movimentos sociais do Brasil e do mundo.

Os organizadores da cúpula ainda mantém esperança de convencer os militares a liberarem o local. No fim da tarde de terça, representantes da cúpula foram convidados para uma reunião no CML, nesta quarta-feira.

A decisão dos militares é mais um baque no evento, que já enfrenta atraso na montagem das tendas. Prevista para começar na semana retrasada, ela foi adiada para a próxima sexta-feira. As estruturas seriam de bambu ecológico. Mas, por problemas burocráticos na liberação dos recursos pela Caixa Econômica Federal (CEF), não houve tempo suficiente para encomendar o material de bioconstrução, que acabou trocado por lona. A inflação da Rio+20 também tem atrapalhado a organização do encontro, que precisou procurar novas empresas para a contratação das tendas, de equipamentos de som e de tradução simultânea. A planta do evento está sendo refeita para adequá-la ao atual cronograma financeiro.

Ambientalista e coordenador do Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais, Carlos Henrique Painel disse ontem que as estruturas já foram contratadas e confirmou o início da montagem para sexta-feira. Ele ainda aguardava uma resposta oficial do CML sobre a área do Monumento aos Pracinhas. Depois de informada na segunda-feira, por telefone, de que o local não seria liberado para o evento, a Secretaria Executiva da Cúpula dos Povos enviou um ofício ao Comando Militar do Leste na tentativa de que a decisão seja revista.

— A Assembleia dos Povos terá entre 5 mil e 10 mil pessoas num espaço aberto. Montaríamos ali na área do monumento um palco — disse Painel, que espera 30 mil ativistas na Cúpula dos Povos.

Esquema de segurança é divulgado

Na segunda-feira, o Comando Militar do Leste apresentou o novo Centro de Coordenação de Operações de Segurança da Rio+20, que já está funcionando no Palácio Duque de Caxias, no Centro. O centro fará o monitoramento em tempo real das imagens de 550 câmeras da Prefeitura e das vias expressas da cidade. Três helicópteros do Exército com câmeras também farão varreduras nos locais de eventos, áreas de hotéis e durante os deslocamentos de chefes de estado. O CML também manterá um centro de monitoramento cibernético para evitar possíveis ataques aos sites oficiais responsáveis pela divulgação de documentos produzidos durante a Rio+20.

Fonte:  O Globo

No related posts.