Iniciou-se ontem (11), no Rio de Janeiro, o V Encontro Latino-Americano e Caribenho de Economia Solidária e Comércio Justo, convocado pela Ripess (Rede Intercontinental de Promoção da Economia Social e Solidária) e pelo FBES (Fórum Brasileiro de Economia Solidária). Estão reunidas aproximadamente 300 pessoas representando organizações, governos locais e empreendimentos econômicos solidários de países da América Central, América do Sul e Caribe.

Durante o dia os participantes de 20 países estiveram reunidosem Santa Teresa, bairro tradicional do Rio de Janeiro, onde se iniciaram as atividades formativas e organizativas. O Conselho Diretivo da Ripess deu boas-vindas aos participantes do V Encontro Latino-Americano de Economia Solidária e Comércio Justo, no local de realização dos debates nas oficinas temáticas, destacando que este encontro é fruto de um processo da Ripess-Lac para compartilhar e projetar a economia solidária e o comércio justo no continente.

De forma proposital o Encontro ocorre às vésperas da Rio + 20 oficial de modo a contribuir e problematizar as discussões neste contexto, trazendo as propostas alternativas da economia solidária e do comércio justo e solidário.

À noite, na Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro),  ocorreu a abertura oficial que contou com a participação de Paul Singer,  secretário da Senaes (Secretaria Nacional de Economia Solidária) ligada ao Ministério do Trabalho; Marcelo Henrique da Costa, secretário de Desenvolvimento Econômico Solidário da prefeitura do Rio de Janeiro; Angelo Fuchs, chefe do departamento de economia solidária do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social); Jerônimo Souza, secretário de Desenvolvimento Territorial do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SDT/MDA); Shirlei Silva, coordenadora do Instituto Marista de Solidariedade e integrante da coordenação executiva do FBES; Ben Quiñones, representante da Ripess Ásia e Coordenador executivo da Ripess Internacional; Ana Virginia Escobar, representante da Redecosol do Chile; Vera Lucia Barreto, representando o Ministro-Chefe da secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, e, também representando a Recid (Rede de Educação Cidadão).

O convidado mais esperado da noite foi o Professor Paul Singer que acolheu a muitos participantes para fotos e abraços. Após a abertura todos os participantes foram acolhidos subsolo da Capela Ecumênica da Uerj para uma confraternização.

O V Encontro

Participam do encontro representantes do Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai, Chile, México, Guatemala, Costa Rica, Nicarágua, Honduras, El Salvador, Panamá, Colômbia, Equador, Peru, República Dominicana, Bolívia, França, Espanha e Bélgica. A quantidade de inscritos superou a expectativa inicial, com mais de 330 inscritos, o que expressa o crescimento das práticas solidárias e da Ripess-Lac, criada em 1998.

Altagracia Santos, conhecida como Chilo, é membra do Conselho Diretivo da Ripess-Lac e atua em uma organização binacional entre Chile e EUA acompanhando redes locais, regionais e internacionais, em uma coalisão rural de indígenas e camponeses para troca de conhecimentos e na busca de respostas locais para produção, distribuição e consumo que estejam nas mãos das pessoas. A expectativa de Chilo é de que este encontro possa fortalecer as redes a nível local e internacional, porque “temos propostas para mostrar à sociedade, encontramos respostas para uma economia nas mãos das pessoas”.

Outro participante do Encontro é Valter Lopes, membro do movimento camponês da Guatemala e integrante da Ripess-Lac representando a rede de economia solidária chamada Pecosol que integra cinco países da América Central, para a integração de experiências e intercâmbio de produtos. “Queremos visibilizar nossas iniciativas ante o processo de globalização, para que nossos povos e comunidades que são pluriétnicas e multilíngues sejam respeitadas na defesa de seu território, nas práticas de bem viver, garantindo e fortalecendo a segurança e soberania alimentar das comunidades”, destacou Valter.

Durante os três dias de encontro os participantes estarão divididos em plenárias e seis oficinas temáticas (Comércio e Consumo Justo e Solidário, Finanças Solidárias, Cultura, Construção e Desenvolvimento do Pensamento Solidário, estratégias Populares e Políticas Públicas na promoção da economia solidária, Desenvolvimento local e territorial, e Crise sistêmica e modelo de desenvolvimento), reflexões sobre o significado destas práticas e de convergências, além de painéis sobre análise de conjuntura, contribuição da economia social e solidária na América-Latina e Caribe para os temas da Rio + 20, fechando com uma carta para a Rio + 20. Amanhã (13) é o último dia do encontro, quando as delegações retornam para seus países.

O encontro é patrocinado pelo IMS (Instituto Marista de Solidariedade), Ceci (Centre for International Studies and Cooperation), Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria de Turismo (RioTur), Fundação Banco do Brasil, BNDES, Ministério do Trabalho e Emprego e Secretaria Nacional de Economia Solidária, Ministério do Desenvolvimento Agrário e Secretaria de Desenvolvimento Territorial, Instituto Morro da Cutia, CC-FD e tem, também, o apoio da Uerj.

Serviço:

Casa de Retiros Assunção

Rua Almirante Alexandrino, 2023

Rio de Janeiro – RJ

Telefone: 61 – 8114-7751 (Oniodi Gregolin)

Fonte: IMS

No related posts.