A Arquidiocese de Manaus (AM) realizou no dia 07 de setembro o 18º Grito dos Excluídos e Excluídas na cidade. A manifestação foi coordenada pelas Pastorais Sociais, Cáritas Arquidiocesana de Manaus e movimentos sociais e reuniu cerca de cinco mil pessoas.

O tema desse ano “Queremos um estado a serviço da nação que garanta os direitos a toda população” animou as áreas missionárias, paróquias, pastorais, organismos e movimentos sociais para os gritos das necessidades da cidade. A concentração iniciou as 16h ao lado do Parque dos Bilhares na Avenida Constantino Nery onde foi gritado pela falta d’água, pela moradia, pelo aumento do tráfico de pessoas, pelo caótico transporte coletivo. Além desses primeiros gritos, que foram encaminhados como carta compromisso aos candidatos a prefeitura de Manaus, o grupo de jovens do bairro Novo Israel apresentou uma atração artística manifestando a ausência da acessibilidade à saúde pública.

Em seguida os manifestantes saíram em caminhada pelas Avenidas Constantino Nery e Kako Caminha até a Ponte do Bariri. Durante a caminhada a Pastoral da Juventude gritou: Chega de Violência e Extermínio de Jovens! O movimento indigenista e a Pastoral da Saúde encerram os gritos do manifesto. A Paróquia São Pedro finalizou o ato com a mística e dança artística.

O evento que agregou religiosos, padres, leigos, juventudes, indígenas, encerrou às 19h com o show musical da banda da Área Missionária Tarumã deixando um gostinho de ‘quero mais’ para 2013.

por Thaieny Gama, comunicadora popular da Cáritas Arquidiocesana de Manaus 

No related posts.