O Fundo Nacional de Solidariedade (FNS), tradicional fonte de recursos para projetos sociais, desde 2011 com uma novidade. Um convênio assinado entre a Cáritas Brasileira e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), em 2010, visa apoiar projetos produtivos no âmbito da economia solidária por meio do FNS.

De acordo com Ademar Bertucci, assessor nacional da Cáritas Brasileira, este convênio possibilitará dobrar o número de projetos produtivos, de formação e capacitação apoiados anualmente pelo Fundo Nacional de Solidariedade. Isso porque o BNDES beneficiará projetos de igual valor ao aprovado pelo recurso da Campanha da Fraternidade (CF) no limite de R$ 5 milhões.

Bertucci alertou para alguns acréscimos nos critérios a serem seguidos para acessar o fundo. De acordo com ele, para os Projetos Produtivos será necessário apresentar, por exemplo, título de propriedade ou autorização para o uso do local do empreendimento e licença ambiental ou dispensa da mesma. “Além disso, os Projetos Produtivos deverão ser encaminhados, primeiramente, para os regionais da Cáritas que farão uma análise inicial”, explicou. Após esta análise, os projetos são enviados para a Cáritas Brasileira que, por meio de uma recomendação final, os enviará para o Conselho Nacional do FNS para a aprovação.

Segundo Bertucci, o FNS também recebe propostas de projetos para a formação de Fundos Rotativos Solidários, aqueles administrados pelas próprias comunidades, em que os retornos solidários permitem que um mesmo recurso se multiplique inúmeras vezes.

por Thays Puzzi, assessora de Comunicação da Cáritas Brasileira / Secretariado Nacional

No related posts.