Com uma festa digna das que são feitas para receber grandes amigos a delegação da Cáritas com jovens de nove países da América Latina se sentiu voltando para casa durante a abertura da Semana Missionária realizada na paróquia São Gaspar Bertoni, localizada no bairro da Lagoa, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Participaram da acolhida e da missa de abertura da Semana Missionária representantes de todas as paróquias da Foronia Nossa Senhora da Piedade, que pertence à região episcopal Nossa Senhora da Conceição, da Arquidiocese de BH.

“Eu me senti muito emocionado com a acolhida e o carinho do povo que nos recebeu. Eu esperava ser bem recebido, mas não tanto assim”, se emocionou Victor Alfredo Cajó, de 30 anos, membro da Cáritas Argentina.Segundo a compatriota dele, Patrícia Chazarreta, de 20 anos, essa acolhida também foi percebida durante a celebração de abertura, presidida pelo pároco de São Gaspar, o padre Jarbas Matos. “Precisamos de jovens que profetizem, não apenas que fiquem na igreja rezando”, falou entre outras coisas o presidente da celebração durante a homilia.

Padre Jarbas Matos abençoa os jovens da Cáritas na missa de abertura

“Nós nos preparamos durante quase um ano, desde que a Arquidiocese nos solicitou acolhimento inicialmente para 200 jovens, até que por um momento achamos que não vinham mais que dois. Porém, tivemos a honra de abrigar a Cáritas e fomos a única paróquia da Foronia que conseguiu acolher peregrinos”, alegou Edimar Basílio, coordenador da Semana Missionária paroquial. Depois da missa, as peregrinas e os peregrinos foram apresentadas/os às famílias que os acolherão durante toda a estadia em BH.

Hoje pela manhã foi realizada catequese na comunidade Santa Clara, no bairro da Lagoinha, facilitada pela irmã Maria de Lourdes, da congregação Sagrado Coração de Maria. Esta é uma das comunidades do falecido padre Gisley  Azevedo, assassinado dia 17/06/2009, quando era assessor do Setor Juventude da CNBB, e entre outros projetos, ajudou a construir a Campanha Nacional Contra a Violência e o Extermínio de Jovens, que também foi abraçado pelas juventudes da Cáritas Brasileira.

Hoje ainda foram realizadas visitas a trabalhos sociais da comunidade e a algumas famílias, na relação com outras pessoas de diferentes sotaques e perfumes avaliada pelas jovens e pelos jovens da Cáritas como um dos pontos altos de todo processo da Jornada Mundial da Juventude. Todos os participantes dessa atividade também participaram do I Encontro Internacional de Jovens da Cáritas que contou com representantes dos quatro cantos do Brasil e de outros oito países latinoamericanos.

por Eraldo Paulino, jornalista do Diário do Pará, assessor de Comunicação do projeto Mulheres no Campo e assessor arquidiocesano da Pastoral da Juventude (PJ)

No related posts.